O Ponto e a Esfera

Este texto veio num momento de inspiração em que eu refletia acerca da Teoria dos Buracos Negros em conjunção com o Universo Fractal. Não sei se há Ciência nesses conceitos, estou compartilhando-o com o intuito de causar reflexões.

O Universo é Fractal.
Infinito para Fora e para Dentro.
Dentro de cada Ponto nesse Universo em que vivemos há um Universo em Potencial. Uma semente.
Há algumas sementes já desabrochadas.
As estrelas são um exemplo.
Dentro delas há um Universo típico.
A fronteira daquele Universo é a camada mais externa da Estrela.
As emissões estelares são descargas do excesso de energia daquele Universo.
O Sol é, então, um Buraco Negro e um Buraco Branco.
Negro pois há uma infinita densidade num Ponto em seu Centro.
Branco pois há uma infinita expansão na esfera que o Circunda.
O Ponto e a Esfera.
Contração e Expansão.
Continuamente, infinitamente.

Hipácia de Alexandria, vítima do fanatismo cristão

A cidade de Alexandria foi fundada por Alexandre, o Grande, no ano de 332 a.C, e logo se tornou o principal porto do norte do Egipto. A sua localização privilegiada, na encruzilhada das rotas da Ásia, da África e da Europa, transformou a cidade num lugar ideal para centralizar e concentrar a arte, a ciência e a filosofia do Oriente e do Ocidente.

A Biblioteca de Alexandria foi construída por Ptolomeu I no século IV a.C. Após a decadência de Atenas como centro cultural, Alexandria tornou-se o grande pólo da cultura helenística. Todo e qualquer manuscrito que entrava no país (trazido por mercadores e filósofos de toda a parte do mundo [comprado ou pedido de empréstimo]) era classificado em catálogo, copiado e incorporado ao acervo da biblioteca. No século seguinte à sua criação, a biblioteca já reunia entre 500 mil e 700 mil documentos. Além de ser biblioteca, no actual sentido, foi também a primeira universidade, onde se formaram grandes cientistas, como os gregos Euclides e Arquimedes.

Continue lendo