A Escolha do Caminho

Temos tantas filosofias e sistemas de crenças e de pensamentos que às vezes ficamos um tanto quanto perdidos. Não sabemos ao certo qual é o “melhor”, o “mais certo”, ou ainda qual é o “mais adequado”, ou quais se encaixam ao nosso jeito de ser… à nossa individualidade.

Não há realmente uma fórmula para se descobrir qual é o sistema filosófico/religioso mais indicado para cada um de nós. Cabe a cada um experimentar aquilo que mais lhe atrai, verificando se lhe convém ou não.

Vendo por esse lado, parece assombroso o tempo e o esforço necessários para descobrir o caminho ideal.

Mas será mesmo que existe um caminho ideal previamente traçado, no qual possamos nos engajar e nos realizar como seres humanos plenos e felizes?

Podemos partir do princípio de que cada pessoa é única. Partindo desse pressuposto, é possível traçar um caminho religioso “genérico”, ao qual se aplicaria a todas as pessoas (ou pelo menos a uma grande maioria delas)? Parece extremamente improvável que isso pudesse ocorrer. Mas isso ocorre. Talvez não com o grau de sucesso esperado, mas, mesmo assim, todos os dias muitos adentram os templos, igrejas e seitas religiosas, buscando respostas para suas aflições e conforto para suas dores emocionais e psíquicas.

Pode-se dizer que há duas grandes áreas distintas: as religiões e as ordens iniciáticas. Há ainda aquelas que são mistas, mesclando características de ambas. Embora sejam grupos extremamente distintos em seus preceitos e práticas, não é possível dizer que eles sejam individuais, visto que são grupos! Mas há uma diferença muito importante que divide essas duas grandes áreas como uma lâmina de espada jedi: religiões organizadas visam principalmente o bem do grupo, enquanto que as Ordens iniciáticas visam o bem individual e do grupo.

Cada uma possui particular experiência nesses campos. Falando por mim mesmo, eu diria que as religiões organizadas são interessantes para se começar a caminhar. Mas conforme se avança, vai-se percebendo que algo está faltando, e também que algo está sobrando. Senti uma necessidade imensa de explicações, de entendimento. Por que havia certos procedimentos, certas necessidades? Proibições e deveres. Muito daquilo era ilógico para mim. Percorri somente o começo de uma desses religiões, mas acho que esses pontos são semelhantes em outras também… essa falta de informação, e essa falta de liberdade de escolha.

Imagino que deva haver diversos modus operandi, variando de religião para religião. Talvez haja aquelas em que se preocupam em esclarecer seus adeptos da melhor forma que puderem. Não posso generalizar nesse sentido, pois estaria cometendo um engano.

Não obstante, essa minha experiência em uma religião foi uma boa forma de mostrar o que a disciplina e a fé são capazes de fazer em nossas vidas. Tive diversos exemplos de ótimos resultados conseguidos através da dedicação, do esforço, da Vontade…

Porém, aos poucos fui me distanciando do pensamento religioso e fui me aproximando do que se costuma chamar de “livre pensamento”. Li muitos livros, artigos. Conversei com pessoas com visão de mundo rica e diversificada. Meu Universo pessoal foi se expandindo pouco a pouco.

Ao prosseguir nos estudos iniciáticos, percebi que esse caminho era um pouco mais independente e bem menos dogmático. Aliás, de dogmas, não havia nenhum. Tudo que se estuda em Ordens Iniciáticas têm um propósito, uma finalidade. Além disso, você é livre para tomar para si um ensinamento ou não, não sendo penalizado em nenhum momento por isso; pelo contrário, é encorajado a preservar a sua integridade a todo instante e a absorver os ensinamentos no seu próprio ritmo, se eles lhe convierem. Além disso, tudo tem um viés prático para ser aplicado na vida diária. De que forma poderiamos melhorar nossa condição senão através do treino?

Algo que considero extremamente estimulante é essa liberdade “filosófica”. É claro que nem tudo são flores. Há, sim, provas iniciáticas, mais conhecidas como Ordálias. As ordálias são testes de aptidão que vão se apresentando ao longo do caminho. Às vezes tem por finalidade a dissolução de parte do nosso Karma. Quanto mais Ordálias se enfrenta e se vence, mais o Iniciado se torna apto a suporta-las. Não somente isso, mas também adquire mais poder e controle sobre si mesmo e sobre sua vida.

Eu estou gostando bastante da experiência, e recomendaria às pessoas interessadas que busquem ingressar em uma Ordem com a qual possua afinidade. Pesquise bastante sua história, seus preceitos e linha de ensinamentos. Veja bem se você gosta dos temas de estudo e da ritualística própria de cada Ordem.

Como foi dito no início, temos diversas opções de desenvolvimento filosófico-espiritual. Porém, eu diria que em última instância o Caminho que percorremos é único. Cada pessoa têm um ponto de vista singular e não há um sistema que sirva 100% bem todas as pessoas ao mesmo tempo. O que cabe a cada um de nós é adequar o que recebemos de acordo com nossas necessidades, capacidades e afinidades. Não devemos fugir de nossas obrigações para com certos preceitos que nos propusemos a seguir, é claro, senão seremos passíveis de ser negligentes com nossas próprias consciências, o que não contribuiria em nada para nossa evolução. Mas, dito isso, podemos e devemos construir um Caminho próprio para nós, que seja baseado na nossa Verdade, Liberdade e Amor.

Acredito que o ponto central discutido em qualquer desses grupos é a ampliação da Consciência. Portanto, se você for capaz de ampliar sua Consciência diligentemente e segui-la, onde quer que ela o envie, então você não necessita de grupo algum. Porém, essa é uma caminhada árdua para ser executada sozinho. Nesse caso, o companheirismo de uma amizade verdadeira equivale ao mais puro ouro, suporte indispensável para o nascimento não somente da Consciência, mas também do Amor fraternal.

 

Teoremas de Aleister Crowley

Livro IV, Parte III – Magia em Teoria e Prática

Introdução
Definição, Postulado e Teoremas
(Aleister Crowley)

I. Definição
MAGIA é a Ciência e a Arte de causar Mudanças de acordo com a Vontade.

II. Postulado
Qualquer mudança pode ter efeito através da aplicação do tipo e grau de força apropriados,  a maneira apropriada, através do meio apropriado ao objeto apropriado.

III. Teoremas

1. Todo ato intencional é um Ato Mágico.
2. Todo ato bem sucedido obedeceu ao postulado.
3. Todo fracasso prova que um ou mais dos requisitos do postulado não foram preenchidos.
4. O primeiro requisito para se causar qualquer mudança é preenchido através do entendimento qualitativo e quantitativo das condições.
5. O segundo requisito para se causar qualquer mudança é a habilidade prática de direcionar corretamente as forças necessárias.
6. “Todo homem e toda mulher é uma estrela”.
7. Todo homem e toda mulher têm um curso, dependendo parcialmente de si próprios e parcialmente do ambiente, curso esse que é natural e necessário para cada um. Qualquer pessoa que seja forçada para fora de seu próprio curso, quer através do não entendimento de si própria, ou por meio de oposição externa, entra em conflito com a ordem do universo e, assim, sofre.
8. Um homem cuja vontade consciente esteja em choque com a Verdadeira Vontade está desperdiçando sua força. Ele não pode esperar influenciar o seu ambiente eficientemente.
9. Um homem que esteja realizando a sua Verdadeira Vontade tem a inércia do Universo a lhe assistir.
10. A Natureza é um fenômeno contínuo, apesar de nós não sabermos, em todos os casos, como as coisas são conectadas.
11. A Ciência nos capacita a tomar vantagem da continuidade da Natureza, pela aplicação empírica de certos princípios, cuja interação envolve diferentes ordens de idéias, conectadas entre si de uma maneira além de nossa atual compreensão.
12. O homem é ignorante da natureza de seu próprio ser e poderes. Mesmo a idéia que ele próprio tem sobre suas limitações é baseada na experiência passada, e, em seu progresso, todo passo estende seu império. Não há, portanto, razão alguma para que se assinalem limites teóricos para o que ele possa ser, ou para o que ele possa fazer.
13. Todo homem está mais ou menos ciente de que sua individualidade compreende diversas ordens de existência, mesmo quando ele acredita que seus princípios mais sutis são meramente sintomas de mudanças ocorridas no seu veículo grosseiro. Pode-se assumir que uma ordem similar seja estendida a toda a natureza.
14. O homem é capaz de ser e de usar tudo aquilo que ele percebe, pois tudo o que ele percebe é, de um certo modo, uma parte do seu ser. Ele pode, assim, subjugar todo o Universo do qual ele esteja consciente à sua Vontade individual.
15. Toda força no Universo é capaz de ser transformada em qualquer outro tipo de força, através do uso dos meios adequados. Há, portanto, um suprimento inexaurível de qualquer tipo particular de força de que venhamos precisar.
16. A aplicação de qualquer força afeta todas as ordens de existência que há no objeto ao qual é aplicada, quaisquer dessas ordens sejam diretamente afetadas.
17. Um homem pode aprender a usar qualquer força de modo a servir a qualquer propósito, tirando vantagem dos teoremas acima.
18. Ele pode atrair a si mesmo qualquer força do Universo, tornando-se um receptáculo apropriado a ela, estabelecendo uma conexão com ela e arranjando condições tais que a natureza dela a compila a fluir até ele.
19. O senso do homem acerca de si próprio, como separado de, e oposto a, o Universo, é uma barreira para que ele conduza as correntes universais. Isto o deixa ilhado.
20. O homem somente pode atrair e empregar as forças para as quais ele esteja realmente preparado.
21. Não há limites para o número de relações de qualquer homem com o Universo em essência; pois, tão logo o homem se torne uno com qualquer idéia, os meios de medida deixam de existir. Mas o seu poder para utilizar essa força é limitado por sua força e capacidade mentais, bem como pelas circunstâncias de sua condição humana.
22. Todo indivíduo é essencialmente suficiente para si mesmo. Mas ele é insatisfatório para si mesmo, até que estabeleça a sua relação correta com o Universo.
23. Magia é a Ciência de entender-se a si próprio e suas condições. É a Arte de aplicar este entendimento à ação.
24. Todo homem tem o direito incontestável de ser o que é,
25. Todo homem deve fazer Magia cada vez que ele age, ou mesmo pensa, posto que um pensamento é um ato interno, cuja influência acaba afetando a ação, mesmo que não seja assim naquele momento.
26. Todo homem tem um direito, o direito à autopreservação, a completar-se ao máximo.
27. Todo homem deveria fazer da Magia a chave mestra da sua vida. Deveria aprender suas leis e viver por elas.
28. Todo homem tem o direito de preencher a sua própria vontade sem ter medo de que isto possa vir a interferir com a vontade dos outros; pois se ele estiver em seu próprio lugar, será culpa dos outros, se interferirem com ele.

Carta a um Maçom

Rio de Janeiro, 9 de julho de 1963.

Caro Dr. G.:

Faze o que tu queres há de ser tudo da Lei.

Li, com maior prazer, a entrevista concedida ao Diário de Notícias, através da qual o Grande Oriente do Brasil manifesta à nação a sua intenção de, finalmente, fazer com que a Maçonaria venha a ocupar na vida brasileira o papel que lhe cabe e sempre lhe coube desde a Independência – que, como todos sabemos, foi feita por maçons.

Relembrei nessa ocasião minha conversa com o senhor, e as nossas palavras de despedida, nas quais buscou o senhor gentilmente trazer à minha atenção o fato de que (na sua opinião) a Igreja Católica Romana é uma boa introdução à vida adulta para crianças. Eu lhe disse então: “Mas a Maçonaria é infinitamente melhor”, e aproveito esta oportunidade para repetir e ampliar estas palavras. Continue lendo

Diálogo entre Jasão e Jesus

O Leão de Judá

“Jasão”, sendo o protagonista do livro “Operação Cavalo de Tróia”, de J.J. Benitez, é um Major da Força Aérea dos EUA que participa de um experimento científico de viagem no tempo. O período que é escolhido para testar a máquina é o da crucificação de Jesus Cristo. Após diversas dificuldades e percalços pelo caminho, Jasão encontra-se com o Galileu na casa de Lázaro, o que ocasiona uma conversa deveras reveladora, profunda e meditativa entre o rabi e o viajante. Aproveitem esse dia para refletir nas palavras ditas pelo Mestre. Embora seja um livro de “ficção”, não deixa de abarcar um significado congruente com o que nós, Livres Pensadores, pensamos e refletimos acerca da Vida e do Universo, entre outros temas. (Os grifos são nossos)

“Ao notar que Jesus se oferecia prazerosamente ao diálogo, aproveitei a ocasião e perguntei-lhe sua opinião sobre o que sucedera naquela tarde.

– Tenho estado no centro do mundo e me revelado a eles na carne. Encontrei-os todos embriagados. Nenhum eu encontrei sedento. Minha alma sofre pelos filhos dos homens porque estão cegos de coração; não vêem que chegaram vazios ao mundo e tencionam sair vazios do mundo. Agora estão bêbados. Quando vomitarem seu vinho se arrependerão… Continue lendo

Os Níveis do Ser Humano

Há alguns anos, um buscador aproximou-se de um Mestre da Arte Real (um verdadeiro Místico) e perguntou-lhe:

– Mestre, gostaria muito de saber por que razão os seres humanos guerreiam-se e por que não conseguem entender-se, por mais que apregoem estar buscando a Paz e o entendimento, por mais que apregoem o Amor e por mais que afirmem abominar o Ódio.

– Essa é uma pergunta muito séria. Gerações e gerações a têm feito e não conseguiram uma resposta satisfatória, por não se darem conta de que tudo é uma questão de nível evolutivo. A grande maioria da Humanidade do Planeta Terra está vivendo atualmente no nível 1. Muitos outros, no nível 2 e alguns outros no nível 3. Essa é a grande maioria. Alguns poucos já conseguiram atingir o nível 4, pouquíssimos o nível 5, raríssimos o nível 6 e somente de mil em mil anos aparece algum que atingiu o nível 7.

– Mas, Mestre, que níveis são esses? Continue lendo

O Aikido por Morihei Ueshiba – Palavras do Fundador

Como ai (harmonia) é comum com ai (amor), eu decidi nomear meu budo único (no sentido de diferenciado) de “Aikido“, embora a palavra “aiki” seja uma palavra antiga. A palavra como foi usada pelos guerreiros no passado é fundamentalmente diferente da minha.

Aiki não é uma técnica para lutar com ou derrotar o inimigo. É o caminho para reconciliar o mundo e fazer dos seres humanos uma só família.

O segredo do Aikido é nos harmonizar com o movimento do Universo e trazer-nos em unidade com o próprio Universo. Aquele que obteve o segredo do Aikido tem o Universo em si mesmo e pode dizer: “Eu sou o Universo.”

Eu nunca sou derrotado, por mais rápido que o inimigo possa atacar. Não é porque minha técnica é mais rápida do que a do inimigo. Não é uma questão de velocidade. A luta é finalizada antes mesmo de já ter começado. Continue lendo

Karate Kid I

O filme Karate Kid: A Hora da Verdade é recheado de ótimas lições, muita das quais merecem um post só para elas, porém, inicialmente, escolhi apenas algumas das quais eu achei mais significativas. Não é possível honrá-las totalmente através de descrições; ao invés disso, assistir aos trechos relacionados é sem dúvida a melhor forma de entendimento. Mas, como não disponho de meios para compartilhar os trechos em vídeo nesse momento, os diálogos bastarão… eles falam por si. Continue lendo

Projeção Astral com Wagner Borges

Wagner D’Eloi Borges – nascido no Rio de Janeiro em setembro de 1961 – é pesquisador espiritualista, projetor extrafísico, conferencista, consultor da Revista UFO e colaborador de várias outras revistas como, Sexto Sentido, Espiritismo e Ciência, Revista Cristã de Espiritismo, e também do Jornal O Legado. Continue lendo