Ponto Zero

Estive lendo algumas historias de vida e morte, de tempos antigos e atuais, de grandes e pequenos herois… pessoas de todos os tipos, que ajudaram a fazer o mundo em que vivemos hoje. Historias que me fizeram despertar algo que eu não “alcançava” havia tempos e que de fato precisava de um pouco de carinho e de atenção.

É realmente muito estranho ver o presente com olhos do futuro.

Observando a cidade noturna, pode-se ver muitas luzes. Muitas paradas, outras, correndo de lá para cá em enormes canais, como se fossem veias bombeando sangue em um imenso organismo. Se fosse possivel olhar para uma cidade há algumas centenas de anos atrás, a imagem seria totalmente diferente.

Parece que os valores de uma epoca sempre serao ultrapassados, inevitavelmente… talvez, exceto, por alguns valores inquebrantaveis, que nunca deixaram de ser importantes, nem nunca deixarao… nem mesmo diante de um futuro mais improvável ou fantástico que surja, esses valores sempre estarão presentes, de um jeito ou de outro.

Difícil pensar que um dia este meu corpo deixará de existir, e eu estarei… onde ? Que lugar ? Que tempo ? Ninguém pode me responder essa pergunta com total clareza e certeza. Não com a riqueza de detalhes que meu intelecto e meus sentidos demandam para que eu possa montar um quadro mental, um filme, na verdade, do que ocorrerá…

Paralelamente, viemos até esse momento, em que estamos ponderando a natureza da nossa vida. Perguntamo-nos o que é o mais importante. O que deve ser feito. E esse é o par de perguntas mais difíceis que poderia surgir.

Estou aqui, partindo do ponto zero.

Se você não tivesse mais absolutamente nenhuma razão para viver, por exemplo, estando tetraplégico, sem capacidade para falar, se você já tivesse tido total êxito naquilo em que você se propôs a fazer, se a única alternativa fosse morrer para se sentir bem, voce o faria ? Você entregaria sua vida assim, de bom grado ? Teria coragem para encarar o grande abismo, o maior de todos ?

Frente a tal questao, tudo parece tao futil, tao retardado. Toda a correria de se conseguir sustentabilidade, de se conseguir alimento na mesa, de se conseguir morar em uma casa, suprir as necessidades básicas. Necessidades… básicas ? Será que são realmente básicas as coisas que achamos serem assim ?

Básico é saber para que voce serve.

Básico é saber para onde voce vai.

Propósito. Objetivo. Alcançar. Lutar. Atingir. Realizar-se. Para daí buscar outro propósito. Ou simplesmente desaparecer, pois seu propósito já foi cumprido.

A dificuldade está em vencer a sua mente. Vencer todos os calculos racionais que sao feitos dizendo suas chances de perder, suas chances de falhar, suas chances de passar fome, de sofrer, de ficar a mercê da ajuda de outros… como vencer a maldita mente que esta ai dentro de voce, falando seus supostos limites ? Como fazer para calar essa voz da autopreservacao, da autopiedade, da autoinércia ???

Uma das formas mais eficazes é ficar cara a cara com a morte.

Encare a morte. Pense em como seria dificil morrer nesse momento. Quantas coisas não deixariam de ser feitas ? Quantos sonhos, quantos pensamentos, quantas virtudes e palavras jamais seriam sonhadas, pensadas, faladas, feitas ou ditas ?

A melhor forma de não morrer é mostrar o que você tem de melhor. Mostrar o que você tem ai dentro. Parar de guardar para si.

Páre de achar que isso não é bom o bastante, ou que vão zombar de você… ou que você mesmo se acha inferior. Acredite em si mesmo. Acredite no que há aí dentro, pois é impossível ser algo ruim. Deixe sair. Deixe isso manifestar. Mostre o diamante, a jóia preciosa que você tem carregado por tanto tempo ai dentro com medo do que o mundo poderia fazer com ela. Sabe o que é impossível ? Alguém poder fazer algum mal a esse tesouro que você carrega… pois o que quer que seja, jamais decepcionará. Seja o que for, será para o melhor de tudo e todos.

Estou aqui para dizer que estou recomeçando. Pois nunca é tarde para (re)começar; nunca é tarde para mostrar o que deve ser mostrado, fazer o que deve ser feito; perseguir o propósito pelo qual seu coração pulsa e seu corpo continua vivo e determinado, em busca da grande realização pela qual você veio e está aqui, agora, lendo essas linhas.

Em frente e adiante!

10 ideias sobre “Ponto Zero

  1. …sim, ti, (re) começar sempre!!…enquanto tivermos essa capacidade, é sinal que ainda não desistimos de lutar, prá descobrir todos os mistérios que cercam nossa existência nesta, nas já passadas e nas vidas que hão por vir…!! acabei de reler praticamente o blog todo, e bis em idem rs, vc tem o “dom”, e faz muito bem em cumprir sua missão em não enterrar seus talentos!! Em frente, sempre, meu querido!! :smile:

  2. :cool:

    A racionalização da mente, o engessamento dos hábitos , a canção esquecida que toca em nossa mentes e nos pertuba, são realmente os monstros mas difíceis a serem enfrentados.

    Mas não impossíveis.Entender a finitude das coisas tanto no extremo quanto no outro . Na alegria e na tristesa.É entender aquilo que nunca poderá ser roubado.O que faz você enchergar a dificuldade com a calma daquilo que é hitsuzen "o inévitavel".A liberdade das coisas verdadeiras que sobre a rocha caminha, sobre toda dor.

  3. Pingback: Links da Semana (12/02) « Tipografia do Inferno

  4. Pingback: Projeto Mayhem — Links | Mas divago

  5. Pingback: Links Mayhem 11/03 « Hermetic Rose

  6. Muito bom Tiago. Realmente, assim nos tornamos amigos da Senhora Morte. Cada dia traz um novo espírito e em realidade morremos a cada instante, abraçar a inevitabilidade da mudança é sobretudo abraçar a própria vida. Abs!

  7. Pingback: Links Mayhem – 11/03/2011 « Hermetic Rose

  8. Pingback: Links Mayhem – 13/03 « Autoconhecimento & Liberdade

  9. Otimo texto com outros que eu venho lendo aqui no seu blog, descobri através do TdC, estou gostando muito, continue assim e parabéns.
    queria fazer uma pergunta um pouco indiscreta, não precisa responder, mas você é de Sorocaba?
    Grato desde já.
    Paz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *