O Todo

“Sob as aparências do Universo, do Tempo, do Espaço e da Mobilidade, está sempre encoberta a Realidade Substancial; a Verdade Fundamental.” – O Caibalion

A Substância é aquilo que se oculta debaixo de todas as manifestações exteriores, a essência, a realidade essencial, a coisa em si mesma, etc. Substancial é aquilo que existe atualmente, que é elemento essencial, que é real, etc. A Realidade é o estado real, verdadeiro, permanente, duradouro, atual de um ente.

Fotografia do "Espaço Profundo" do telescópio Hubble

Fotografia do "Espaço Profundo" do telescópio Hubble

Os Hermetistas pensam e ensinam que O TODO, em si mesmo, é e será sempre INCOGNOSCÍVEL. Eles consideram todas as teorias, conjeturas e especulações dos teólogos e metafísicos a respeito da natureza íntima do TODO, como esforços infantis das mentes finitas para compreender o segredo do Infinito. Tais esforços sempre desviaram e desviarão da verdadeira natureza do seu fim. Uma pessoa que prossegue em tais investigações vai, de circuito em circuito no labirinto do pensamento, prejudicar o seu são raciocínio, a sua ação e a sua conduta, até ficar totalmente inutilizada para o trabalho da vida. É como o esquilo, que furiosamente corre dentro da redondeza da sua gaiola, caminhando sempre sem nunca chegar em parte alguma, e parando só quando se assusta: é enfim um prisioneiro.

Porém são ainda mais presunçosos os que atribuem ao TODO a personalidade, as qualidades e propriedades – característicos e atributos deles mesmos -, e querem que o TODO tenha emoções, sensações e outros característicos humanos que estão abaixo das pequenas qualidades do gênero humano, tais como a inveja, o desejo de lisonjas e louvores, desejo de oferendas e adorações, e todos os outros atributos que sobrevivem desde a infância da raça. Tais idéias não são dignas de pessoas maduras e vão sendo rapidamente abandonadas.

(Vem a propósito dizer aqui que fazemos distinção entre a Religião e a Teologia, entre a Filosofia e a Metafísica.)

A Religião para nós é a realização institucional da existência do TODO, e sua relação para com ele; ao passo que a Teologia representa o esforço do homem em atribuir-lhe personalidade, qualidades e característicos, as teorias a respeito dos seus negócios, planos, desejos e vontades, e as apropriações de tudo isso para o ofício de mediadores entre o TODO e o povo.

A Filosofia é, para nós, a investigação de acordo com o conhecimento das coisas conhecíveis e concebíveis; ao passo que a Metafísica é o intento de levar a investigação às regiões incognoscíveis e inconcebíveis e além dos seus limites, com a mesma tendência que a Teologia. Por conseguinte, a Religião e a Filosofia são para nós coisas que têm o seu princípio na Realidade, ao passo que a Teologia e a Metafísica parecem delgados caniços, enraizados na areia movediça da ignorância, e nada mais constituem que o mais incerto apoio para a mente ou a alma do Homem. Não insistiremos com os estudantes que aceitam estas definições; só mencionamo-las para mostrar a posição em que nos colocamos neste assunto. Seja como for falaremos muito pouco sobre a Teologia e a Metafísica.

Mas, conquanto a natureza essencial do TODO seja Incognoscível, existem certas verdades conexas com a sua existência que a mente humana foi obrigada a aceitar. E o exame destas verdades forma um assunto próprio para investigações, mormente quando elas concordam com o testemunho do Iluminado nos planos superiores. Nós vos convidamos a fazer estas investigações.

“AQUELE que é a Verdade Fundamental, a Realidade Substancial, está fora de uma verdadeira denominação, mas o sábio chama-o O TODO.”
“Na sua essência, O TODO é INCOGNOSCÍVEL.”
“Mas os testemunhos da Razão devem ser hospitaleiramente recebidos e tratados com respeito.”

A razão humana, cujos testemunhos devemos aceitar ao raciocinar sobre alguma coisa, nos diz o seguinte a respeito do TODO, mas sem pretender levantar o véu do Incognoscível:

I. O TODO é Tudo o que é REAL. Nada pode existir fora do TODO, porque do contrário o TODO não seria mais o TODO.

II. O TODO é INFINITO, porque não há quem defina, restrinja e limite o TODO. É Infinito no Tempo, ou ETERNO; existiu sempre, sem cessar; porque nada há que o pudesse criar, e se ele não tivesse existido, não podia existir agora; existirá perpetuamente, porque não há quem o destrua, e ele não pode deixar de existir, porque aquilo que é alguma coisa não pode ficar sendo nada. É infinito no espaço; está em toda parte porque não há lugar fora do TODO; é contínuo no Espaço sem cessação, separação ou interrupção, porque nada há que separe, divida ou interrompa a sua continuidade, e nada há para encher lacunas. É Infinito ou Absoluto em Poder; porque não há nada para limitá-lo, restringi-lo ou acondicioná-lo; não está sujeito a nenhum outro Poder, porque não há outro Poder.

III. O TODO é IMUTÁVEL, ou não está sujeito a ser mudado na sua natureza real, nada há que possa operar mudanças nele, nada há em que possa ser mudado nem nada que tenha sido mudado. Não  pode ser aumentado nem diminuiído, nem ficar maior ou menor, seja qual for o motivo. Ele sempre foi e sempre será tal como é agora: O TODO; nada houve, nada há e nada haverá em que ele possa ser mudado.

O TODO sendo Infinito, Absoluto, Eterno e Imutável, segue-se que tudo o que é finito, passageiro, condicional e mutável nao é o TODO. E como não há nada Real fora do TODO, todas as coisas finitas não são Reais. Não deveis ficar admirados e espantados das nossas palavras; não queremos levar-vos à Ciência Cristã fundada sobre a parte inferior da Filosofia hermética. Há uma Reconciliação para o aparente estado contraditório atual do assunto. Tende paciência, que nós trataremos deste assunto em seu tempo.

Vemos ao redor de nós que aquilo que se chama Matéria constitui o princípio de todas as formas. É o TODO simplesmente Matéria ? Absolutamente não! A Matéria não pode manifestar a Vida ou a Mente, e como a Vida e a Mente são manifestadas no Universo, porque nada é superior à sua própria origem, nada se manifesta como efeito que não esteja na causa, nada evolui como consequente, que não tenha involuído como antecedente. Quando a ciência moderna nos diz que não há realmente outra coisa senão Matéria, devemos saber que aquilo que ela chama Matéria é simplesmente uma energia ou força interrompida, isto é, uma energia ou força com poucos graus de vibração. Disse um recente escrito, “a Matéria obscureceu-se no Mistério”. Mesmo a ciência materialista já abandonou a teoria da Matéria e agora se apóia sobre a base da Energia.

Então O TODO é simplesmente Energia ou Força? Não é Energia ou Força como os materialistas empregam estes termos, porque a energia e força deles são coisas cegas e mecânicas, privadas de Vida ou de Mente. A Vida ou a Mente não pode evoluir da Energia ou Força cega, pela razão dada acima, que: Nada é superiori à sua própria origem, nada evolui que não tenha involuído, nada se manifesta como efeito que não tenha a sua causa. E assim o TODO não pode ser simplesmente Energia ou Força, porque, se assim fosse, não teriam existência a Vida e a Mente, e nós sabemos muito bem que elas existem, porque somos nós os que temos Vida, e que empregamos a Mente para considerar esta questão, assim como os que pretendem que a Energia our Força é Tudo.

Que é, pois, que sabemos existir no Universo, que é superior à Matéria ou Energia? A VIDA e a MENTE!  Vida e a Mente em todos os seus diversos graus de desenvolvimento! “Então,” perguntais, “quereis dizer que o TODO é VIDA e MENTE?” Sim e Não! é a nossa resposta. Se entendeis a Vida e a Mente como nós pobres mortais conhecêmo-las, diremos, Não! O TODO não é isto! “Mas, que natureza de Vida e de Mente quereis significar? “, direis vós.

A resposta é: “A MENTE VIVENTE, muito acima do que os mortais conhecem por palavras, como a Vida e a Mente são superiores às forças mecânicas ou à matéria; a INFINITA MENTE é muito superior em comparação à Vida e a Mente finita.” Queremos exprimir o que as almas iluminadas significam ao pronunciarem reverentemente a palavra ESPÍRITO!

O TODO é a Infinita Mente Vivente; o Iluminado chama-a ESPÍRITO!

Trecho retirado do livro O Caibalion escrito por  Três Iniciados, da editora pensamento. Realmente uma ótima leitura para os interessados nas Ciências Herméticas. Recomendo!

11 ideias sobre “O Todo

  1. Opa! Texto novo!
    Por "coincidência", comecei a ler o Caibalion na semana passada, é realmente fantástico. É curioso como é difícil apreender essa noção de O TODO,como no caso dos fractais.
    Até a próxima!

    ps: atualizei o blog depois de mto tempo, com um texto sobe o filme Ágora

    • Ter a consciência da existência de algo e além disso ter a capacidade de analisar racionalmente sobre esse mesmo algo e ainda por cima reconhecer discrepâncias, relevâncias ou hierarquia de substâncias num sistema complexo, não pode ser enquadrado na mesma categoria de objetos ou sistemas que por mais complexos que sejam, ainda dormem inertes na categoria de substâncias inanimadas ou seja SEM VIDA…Assim, há que se perceber que os seres ditos vivos e por excelência o ser humano, não podem e não devem ser colocados em um mesmo nível de análise que objetos ou mesmo sistemas(ainda que ultra complexos) inanimados. Assim, a religião é por excelência o campo que promove a discussão derivada de intrincadas análises lógicas sobre como é possível a existência de seres capazes de perceber uma realidade exterior partindo de pressupostos cognitivo-conscientes inéditos em qualquer outro ser ou matéria; a saber: Somente os seres humanos(Seres dotados de capacidade analítica{inteligência}) podem discorrer sobre causas e efeitos e por conseguinte ter a noção tempo-espacial de si mesmos e de outrem, levando a conclusão de que assim como na matéria não pode haver pressuposto anterior da mesma sem haver um sistema de formação primeira(Teoria de Lavoisier), assim também não podemos admitir a hipótese de que tais seres(Homo-sapiens) capazes de analizar, discorrer e perceber realidades abstratas, são oriundos desse mesmo sistema inanimado(Ainda que de alta complexidade). Deve-se portanto supor que há sim uma inteligência pregressa, uma vez que se nem a matéria pura e simples poderia existir sem um pressuposto anterior, como poderíamos conceber sistemas inter-relacionados onde necessariamente se faz a obrigatoriedade de cálculos matemáticos pregressos??? Como poderia haver seres vivos dotados de capacidade analítica como sendo fruto de ambientes complexos inanimados? Assim, no decorrer dos tempos, a idéia de Deus ganha força não só pela revelação exposta em práticas religiosas, mas também e principalmente, por causa da necessidade do homem de aliviar a tensão racional que a lógica lhe impõe de que pura e simplesmente, ele não poderia ter vindo do vácuo e de que toda e qualquer análise retroativa sincera que se faça chegará sempre à mesma e definitiva conclusão a saber: Deus(Inteligência pregressa) se faz necessário à existência de seres vivos com capacidade analítica e auto-percepção(Consciência)…
      Amigo_Virtual_p.g.l@hotmail.com

  2. Pingback: A Mente, o Corpo e a Vida | Teoria da Conspiração

  3. Por inconcebível que isso possa parecer à razão comum, você – e todos os outros seres conscientes – são de suprema importância. Daí que a vida que você está vivendo não é tão-somente uma peça da existência inteira, mas é, em certo sentido, o TODO. Só que esse TODO não se constitui de modo que possa ser inspecionado num único olhar. Isso, como sabemos, é o que os brâmanes expressam com a fórmula sagrada, mística, que é, na realidade, tão simples e tão clara: Tattwam asi, isto é você. Ou, assim: “Estou no leste e no oeste, estou embaixo e em cima, sou TODO este mundo”. (Erwin Schrödinger)

    Você já não se vê como um ponto isolado na periferia, mas como o Um Todo no centro. (Jung)

    Do nada absoluto (a folha branca) surge a manifestação do múltiplo, culminando no corpo (na palmeira), como na árvore sefirótica dos kabalistas. Místico é o saudoso do Um. Pagão (ou alquimista) é o amoroso do Todo. Um e Todo? A inscrição da serpente ouroboros? Outra forma cuja ideia o poeta aqui também suscita, circular, em vez de perpendicular, e unindo também extremos, como a árvore. Da terra ao céu, do céu à terra, uns sobem, outros descem a palmeira. Mas o que interessa, nuns e noutros, é a transformação. (Yvette Centeno)

    Sou árvore da vida que espia o infinito de olhinhos grandes.

    Árvore é raiz com galhos. Onde termina e principia sua exatidão? O caule que sobe é semente que cai e que brota, assim por dentro como por fora:

    A existência se constitui pela INTEIREZA.

    Na INTEIREZA de cada existência tudo se infinita. (Misael Luiz Inácio)

    Para ser grande, sê INTEIRO:

    nada teu exagera ou exclui.

    Sê TODO em cada coisa.

    Põe quanto és no mínimo que fazes.

    Assim em cada lago a lua TODA brilha, porque alta vive. (Fernando Pessoa)

    Os pares de opostos formam um TODO. Suas qualidades são:

    bem e mal

    alto e baixo

    masculino e feminino

    o eficaz e o ineficaz

    plenitude e o vazio

    o vivo e o morto

    diferença e igualdade

    luz e treva

    quente e frio

    energia e matéria

    tempo e espaço

    beleza e fealdade

    o Um e os Muitos

    e assim por diante. (Jung)

    O Louco é o novo começo. Aquele que traz no saco às suas costas todas as experiências anteriores, desejos desconsideráveis e toda sorte de misérias apenas como algo relegado ao passado e que ensinou-o algo, e foram catalisadores de alguma maneira da transformação verdadeira de chumbo em ouro. É o novo caminhar na estrada plena do Tao (a estradasem forma). Todo caos reprimido se vai e, por fim, acha-se o sagrado guia espírito universal e brada-se: “Eu me torno!” É feita a união com o TODO e o tornar-se Deus (vai-se a mera treva e luz dicotômica, vê-se apenas o cinza) pela auto-redenção e auto-iniciação. A Torre é a fachada que usamos para esconder o Diabo (Baphomet) que espera pelo Louco na escuridão do útero que antecede o nascer. O Louco ao encontrar o Diabo se transforma e torna-se real, dando as mãos a este e fundindo-se a tal, enquanto a antiga Torre da ilusão se desfaz e o Louco-Diabo toma o MUNDO liberto de si. (Eliphas Levi)

  4. Pingback: O Bem e o Mal | Teoria da Conspiração

  5. Pingback: Diálogo entre Jasão e Jesus - Labirinto da Mente

  6. Pingback: O Bem e o Mal » O Alvorecer

  7. Pingback: Diálogo entre Jasão e Jesus | Teoria da Conspiração

  8. Pingback: O Bem e o Mal - Labirinto da Mente

Deixe uma resposta para Victor Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *