Auto-reflexão de um blogger

Por que um escritor deve continuar? Estive pensando várias vezes em parar, sabe. Às vezes perco a fé no que escrevo… a fé em mim mesmo. Não sei se o que estou tentando fazer surtirá frutos. Parece tão inútil tentar falar algo para o vazio. Pois é como eu me sinto às vezes aqui, no vazio e no frio do espaço virtual. Estou tão acostumado a receber recompensas, receber algo em troca por tudo o que faço, como se estivesse constantemente vendendo algo, que o fato de eu simplesmente escrever tudo o que leio, penso, e concluo, aqui… e tudo o que recebo por inspiração, aqui… e não receber absolutamente nada por isso é, no mínimo, bastante bizarro.

Pareço um grande ganancioso ao falar essas coisas, mas o fato é que somos treinados a sempre tirarmos alguma coisa de algo que fazemos. Desde cedo, somos condicionados a sempre termos uma moeda de troca, um favor, qualquer coisa, por aquilo que fazemos às outras pessoas… mesmo assim, sinto que não posso exigir nada dessas coisas que digo aqui, pois não são relacionadas à materialidade da vida. Há coisas na vida que são impossíveis de comprar/vender, pois são adquiridas pelo próprio esforço de cada um…

É estranho chegar a conhecer tanto e a não ser ninguém importante, ninguém de reconhecimento, ninguém de destaque. Sou somente alguém que tem diversos “insights” e recebe diversas informações sobre coisas pouco-usuais. Acho que poucas pessoas se interessam pelas mesmas coisas que eu. Acho ainda mais raro que haja alguém que enxergue certas coisas que vejo. Mesmo assim, eu vejo… e é meio frustrante você saber de algo que será ignorado pela imensa maioria. Parece que você está perdendo tempo. Parece que você está desperdiçando sua vida. É como me sinto, às vezes.

Mesmo considerando tudo isso, continuo entrando em contato com essas coisas diferentes, com fatos diferentes e estranhos, e vou conseguindo mais e mais informações, com as quais não sei bem ao certo o que fazer ! Parece que estou encurralado… se eu conto, se eu descrevo, sou simplesmente ignorado… se fico quieto, cresce uma angústia dentro de mim que nem sei como descrever ! Parece que estou destinado a ser um divulgador sem nenhum reconhecimento… um artista sem nenhum aplauso. Sim, talvez eu seja só um mensageiro, um instrumento, uma ferramenta… um ser que não merece menção, pelo menos, não quando comparado ao teor da mensagem a ser transmitida. É uma tarefa difícil, pois tenho que cumprir o meu papel, e preciso não me queixar muito, tampouco ficar desleixando, preguiçoso, pelos cantos.

Ou talvez simplesmente eu não possa fugir dos Caminhos que preciso trilhar. Não dá pra escapar do destino. Não dá pra escapar do que você realmente gosta, ama, almeja, deseja… inevitavelmente, um dia você irá encontrar o que procura ! Preciso parar de andar em círculos e me decidir logo.

Peço que tenham paciência comigo, pois ainda não consigo me treinar a ponto de criar um fluxo constante de textos. Parece que ajo por “bursts” de energia, ou seja, por tempos de total calmaria, para depois ter rápidas e fortes rajadas de inspiração e prolixidade…

Apesar disso, espero que esses textos sejam úteis para a sua reflexão!

9 ideias sobre “Auto-reflexão de um blogger

  1. Jamais pare de escrever! …como eu e muitas pessoas, você se expressa perfeitamente escrevendo, encaixando cada idéia nos parágrafos de seus textos. É importante que a riqueza das inspirações sejam registradas para sempre em algum lugar, seja online ou no papel mesmo; fazendo isso você faz um bem pra você mesmo e para seus leitores, de agora ou os futuros. E simplesmente, não se importe com a necessidade de comentários, pois há leitores tímidos ( como eu) que preferem adimirar suas escritas no anônimato ;)
    Tenha a convicção que seus textos são ótimos e que incutam a reflexão de cada leitor.

    te amo!

    beijão!

  2. Opa, tomara mesmo Luiz!! ele é mutio bom!! … aproveitando a oportunidade, gostei muito do seu texto "A Roda"…mas como disse, leio e fico na minha hehe:) …abraço!

  3. Não, cara, não pare!
    O trabalho de manter um blog às vezes é ingrato, parece não dar em nada, mas vale a pena continuar, nem que seja só pra exercitar a escrita e ordenar as idéias. Grande parte das pessoas que lêem blogs não comentam, pode ter certeza que baixo índice de comentários não quer dizer necessariamente baixo número de leitores.
    Seus textos são ótimos, e realmente causam reflexão (já até usei como gancho para texto no meu blog).
    Não desanime, respire fundo e siga em frente!
    Espero o próximo texto…

  4. Minha experiência pessoal me mostra que tentar mudar as pessoas não funciona, cada um tem sua propria consciência, sua propria mentalidade, vidas completamente diferentes. Eu entendo a frustração ao se deparar com a "grande massa", pois a grande maioria das pessoas não pensa muito em um "sentido da vida", mas simplesmente em "viver", não ligue pra isso, com certeza é da natureza do homem ser assim, mudar somente no ultimo momento, ser cômodo, a melhor coisa que vc pode fazer é oque já está fazendo, dar o exemplo.

  5. Eu não queria aparecer, mais é inevitavel…
    Labirinto da mente vem me acompanhando ja faz a algum tempo, mas precisamente desde a epoca de pixação(nada a ver com a minha mente hj), mas enfim, Vc meu querido teve a iniciativa que não tive e não tenho a tempos, falar sobre LABIRINTO DA MENTE, é totalmente gratificante pra quem entende, è a melhor coisa ,não precisa de algo de troca pra falar sobre o assunto, espero que como vc teve a iniciativa antes de mim, espero que não pare, continue …
    O mundo é complicado de entender com tantas coisas nos influenciando a não pensar, e quem pensa se confunde nos pensamentos porque a REALIDADE E A IMAGINAÇÃO caminham em mundos tão distantes mais ao mesmo tempo em paralelos em dimensões tão perto…
    Não pare, se começou…. não pare…..

  6. Eu sei como se sente :)

    Eu consegui resolver esse "problema" quando percebi que muito do que escrevo é também para mim mesmo…

    As vezes leio os meus textos e eles me ajudam. É que muitas vezes esqueci do que estava pensando e sentindo e intuindo quando os escrevi, e em todo caso nós mudamos a cada momento.

    Que eu saiba, alguns dos momentos mais felizes da minha vida foram passados enquanto criava textos, poesias, mundos de fantasia, etc. – eu apenas não me dei conta disso naqueles momentos!

    Enfim, é bom deixar registros para a posteridade, afinal nós também somos uma forma do Cosmos conhecer a si mesmo.

    Abs
    raph

  7. Gostar da Escrita é como observar a Rosa do Desenho de longe , muito longe , Desenhar é se ferir com um espinho dessa Rosa , mas Pintar é provar da gota de orvalho pousada em uma pétala viva. Quem escreve , não quer o desenho, quem desenha esquece a pintura e acredita piamente que ambas se tratam de imagens, pálidas imagens de artes angustiantes. A terra definida vivifica-se com com a água líquida fluindo em todas as direções , mas a água que evapora e se aparta da terra , na nuvem gerará Raios de si mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *