Os Sete Pecados Capitais e as Sete Virtudes

Uma das características do Verdadeiro Rei é que ele já está purificado. Ele já deixou para trás o supérfluo. É alguém que já superou os desejos infindáveis que surgem das entranhas do EGO, do eu-inferior ou do eu-da-sombra. O Verdadeiro Rei, como um autêntico alquimista, sublimou todos os 7 “Pecados Capitais”, tranformando-os nas 7 Virtudes.

A Estrela Setenária
A Estrela Setenária

“Em primeiro lugar: ninguém nunca se perguntou qual a diferença entre os Dez Mandamentos e os sete Pecados Capitais? Porque os pecados, que a Igreja tanto fala e que são formas certas de levar uma pessoa para o tal do Inferno, mencionados na Divina Comédia (escrita por Dante Alighieri, um iniciado) não estão na bíblia em lugar algum?

Os chamados “Pecados Capitais” são originários da alquimia e das tradições iniciáticas muito antigas, remontando dos antigos rituais egípcios e babilônicos. Antes de começar, vamos usar a nomenclatura certa: DEFEITOS capitais.

Os defeitos capitais são em número de sete, diretamente relacionados com o avanço espiritual e estando cada um deles associado a um Planeta, de acordo com uma estrutura denominada “Estrela Setenária”.

 

ORGULHO

Vaidade
Vaidade

Defeito capital relacionado com o SOL e, provavelmente, o mais difícil de ser destruído.

Em sua síntese, Orgulho é um sentimento de satisfação pessoal pela capacidade ou realização de uma tarefa. Sua origem remonta do latim “superbia”, que também significa supérfluo.

Algumas pessoas consideram que o orgulho para com os próprios feitos é um ato de justiça para consigo mesmo. Que ele deveria existir, como forma de elogiar a si próprio, dando forças para evoluir e conseguir uma evolução individual, rumo a um projeto de vida mais amplo e melhor. O orgulho em excesso pode se transformar em vaidade, ostentação, soberba, apenas  sendo visto, então, como algo negativo.

Outras pessoas classificam o orgulho como “exagerado” quando se torna um tipo de satisfação incondicional ou quando os próprios valores são superestimados, acreditando ser melhor ou mais importante do que os outros. Isso se aplica tanto a si próprio quanto ao próximo, embora socialmente uma pessoa que tenha orgulho pelos outros é geralmente vista no sentido da realização e é associada como uma atitude altruísta, enquanto o orgulho por si mesmo costuma ser associado ao sentimento de capacidade e egoísmo.

Filme O advogado do Diabo
O advogado do Diabo

O Orgulho é um defeito muito traiçoeiro, justamente porque, conforme colocado no parágrafo anterior, a maioria das pessoas não o enxerga como um “defeito”, mas como uma “recompensa” moral ou espiritual por um trabalho que executaram. Por esta razão, é muito mais difícil nos livrar dele, pois, ao nos acostumarmos com a recompensa, nos sentimos inferiorizados se não somos “reconhecidos” por nossos feitos.

Acho que o orgulho é o último (e mais complexo) dos defeitos a serem finalmente destruídos, pois, ao contrário da preguiça ou da raiva, por exemplo, que são (na minha opinião) mais simples de serem trabalhados, o orgulho está enraizado em nosso pensamento de uma maneira intrínseca. É muito fácil cair na tentação de, ao “final” do caminho, batermos com as mãos no peito como o Fariseu da parábola de Lucas ou nos sentirmos injustiçados caso ninguém “reconheça” nossa “evolução”.

Aprender a trabalhar a via interior como algo íntimo para nós mesmos (e não para mostrarmos aos outros) certamente é o primeiro passo para o desenvolvimento espiritual.

A virtude cardeal do Sol é a MAGNANIMIDADE. A capacidade de brilhar e iluminar os outros ao seu redor. A virtude de brilhar pelo reto pensar, reto falar e reto agir. Assim como o orgulho é o pior de todos os vícios, a magnanimidade é a maior de todas as virtudes.

São Thomas de Aquino determinou sete características como inerentes ao orgulho:

Jactância - Ostentação, vanglória, elevar-se acima do que se realmente é.

Pertinácia – Uma palavra bonita para “cabeça-dura” e “teimosia”. É o defeito de achar que se está sempre certo.

Hipocrisia - o ato de pregar alguma coisa para “ficar bem entre os semelhantes” e, secretamente, fazer o oposto do que prega. Muito comum nas Igrejas.

Desobediência – por orgulho, a pessoa se recusa a trabalhar em equipe quando não tem suas vontades reafirmadas. Tem relação com a Preguiça.

Presunção - achar que sabe tudo. É um dos maiores defeitos encontrados nos céticos e adeptos do mundo materialista. A máxima “tudo sei que nada sei” é muito sábia neste sentido. Tem relação com a Gula.

Discórdia - criar a desunião, a briga. Ao impor nossa vontade sobre os outros, podemos criar a discórdia entre dois ou mais amigos. Tem relação com a Ira.

Contenda - é uma disputa mais exacerbada e mais profunda, uma evolução da discórdia onde dois lados passam não apenas a discordar, mas a brigar entre si. Tem relação com a Inveja.

 

ACÍDIA (Preguiça)

Preguiça
Preguiça

Isto provavelmente quase ninguém entre vocês deve saber, mas o nome original da Preguiça é Acídia. Acídia é a preguiça de busca espiritual. Quando a pessoa fica acomodada e passa a deixar que os outros tomem todas as decisões morais e espirituais por elas. É muito fácil de entender porque a Igreja Católica substituiu a Acídia pela Preguiça dentro dos “sete pecados”! Trabalhar pode, mas pensar não !!!

A preguiça está ligada diretamente à LUA. Mas você já devia ter desconfiado disso… qual o dia da semana onde sentimos mais as influências destas energias? Moonday.

A virtude cardeal relacionada com a Lua é a HUMILDADE. É necessário lembrar que estamos sempre falando em termos espirituais dentro da alquimia. Em sua origem, a Humildade (Humilitas) está relacionada a “fazer o seu trabalho sem esperar reconhecimento e sem esperar por recompensas”. Humilde não é sinônimo de “coitadinho”, de “idiota”, de “pobrezinho” e outras tolices que vocês foram forçados a engolir por causa da Igreja. Uma pessoa humilde não precisa (nem deve) ser um pateta. “Cordeiro Humilde” nas palavras de Yeshua significa “Aquele que tem as características de Áries e faz o seu trabalho sem esperar reconhecimento”. Bem diferente do coitadinho medíocre que a Igreja espera que você seja.

São Thomas de Aquino determina sete características como filhas da acídia.

Desespero – quando o homem considera que o objetivo visado se tornou impossível de ser alcançado, por quaisquer meios, gerando um abatimento que domina o seu afeto.

Pusilanimidade – covardia, falta de ânimo, falta de coragem para encarar um trabalho árduo e que requer deliberação.

Divagação da mente – é quando um homem abandona as questões espirituais e se instala nos prazeres exteriores, permanecendo com sua mente rondando assuntos do âmbito material.

Torpor – estado de abandono onde a pessoa ignora a própria consciência.

Rancor – ressentimento contra aqueles que querem nos conduzir a caminhos mais elevados, o que acaba gerando uma agressividade. Está relacionado à Ira. Posso ver muito de rancor em relação aos textos ateístas e outros textos religiosos mais fanáticos..

Malícia – desprezo pelos próprios bens espirituais, resultando em uma opção deliberada pelo mal. Está ligada diretamente ao materialismo e á Luxúria. Hoje em dia tornou-se sinônimo de sexualidade explícita.

Preguiça – a falta de vontade ligada aos esforços físicos.

 

IRA

Ira
Ira

Defeito capital ligado diretamente a MARTE, representado acertadamente pelos Deuses da Guerra. A ira é o mal uso da energia agressiva de marte. Ao invés de direcioná-la para o sexo ou para os esportes, a pessoa canaliza este excesso de energia para a destruição. “Faça amor, não faça a guerra”. Com tantas travas e tabus sexuais, não é de se admirar que fanáticos religiosos sejam tão violentos.

A Virtude cardeal relacionada com marte é a DILIGÊNCIA, ou seja, a capacidade de guiar a energia e a capacidade de produzir de maneira efetivamente produtiva.

São Thomas de Aquino determina seis características inerentes como sendo filhas da Ira:

Insulto – uma forma de violência verbal, na qual o interlocutor visa ofender ou agredir moralmente o atacado, atingindo algum ponto fraco para humilhar o outro.

Perturbação – agitação física e psíquica produzida por emoções intensas e acumuladas. Um dos maiores problemas na psicologia, a tensão das emoções acumuladas pode gerar todo tipo de problemas no organismo.

Indignação – sentimento de ira em relação a uma ofensa ou ação injusta.

Clamor – queixa ou súplica em voz alta, reclamação, gritos tumultuosos de reprovação. Quando a Ira extravasa de uma pessoa para um grupo, como se fosse uma entidade viva (na verdade, astralmente, o Clamor É uma entidade viva, manifestada pelas Fúrias).

Rixa – briga, desordem, contestação, tumulto. A Rixa tem ligação com o Orgulho

Blasfêmia – difamação do nome de um ou mais deuses. A Ira voltada para dentro de si mesmo.


INVEJA

Inveja
Inveja

Defeito capital ligado ao Planeta MERCÚRIO. Hoje em dia, as pessoas utilizam-se do termo “inveja” de maneira errada. Seu sentido original quer dizer “Caminhar segundo o passo espiritual de outra pessoa”. Ter inveja de outra pessoa é tomar seu próprio caminho com base nos esforços e resultados obtidos por outras pessoas. A Inveja como a conhecemos hoje é a parte material do defeito.

Por esta razão que a Virtude cardeal associada a Mercúrio é a PACIÊNCIA. A paciência é a capacidade de caminhar (espiritualmente) no seu próprio ritmo. Não é sinônimo de “lerdeza” ou de “calma” ou de “ir devagar”… ir devagar é para gente devagar! Ter paciência é ter a capacidade de avançar nos estudos iniciáticos no seu próprio passo.

São Thomas de Aquino determina cinco características inerentes como sendo filhas da Inveja:

Exultação pela Adversidade – Diminuir a glória do próximo. Por causa do sentimento de inveja, a pessoa tenta de todas as maneiras diminuir o resultado do trabalho e das glórias das pessoas ao redor.

Detração - Significa falar mal às claras. Possui os efeitos semelhantes aos do murmúrio, com as mesmas intenções, mas mais abertamente. A diferença entre os dois é que a detração está maculada pelo Orgulho de se mostrar como causador do dano.

Ódio - o efeito final da inveja: o invejoso não apenas se entristece pelas conquistas do outro e deseja o fim das glórias e objetivos alcançados pelo próximo, mas passa a desejar o mal sob todos os aspectos para aquela pessoa também.

Aflição pela Prosperidade - A tristeza pela glória do próximo. Ocorre quando não se consegue de nenhuma maneira diminuir as realizações da outra pessoa, então passa a se entristecer com o resultado das conquistas alheias.

Murmuração - Também conhecido como fofoca, consiste em espalhar mentiras, meias-verdades, distorções, mentira (associada à Avareza) ou fatos embaraçosos ou depreciativos em relação a outra pessoa, com o intuito de prejudicar o próximo.

 

GULA

Gula
Gula

A gula, como já era de se esperar, era uma característica do Planeta JÚPITER. Júpiter, como o benfeitor da astrologia, rege a fartura e a prosperidade. O defeito é a gula e a virtude é a caridade.

Oras… estamos lidando com Excessos. A Gula é absorver o que não se necessita, ou o que é excedente. Pode se manifestar em todos os quatro planos (espiritual, emocional, racional e material). Claro que a igreja distorceu o sentido original da alquimia, adaptando-a para o mundo material, então hoje em dia, gula é sinônimo apenas de “comer muito”.

A virtude relacionada a Júpiter é a CARIDADE. A caridade lida com a maneira que tratamos nossos excessos. Ao invés de consumi-los sem necessidade, os doamos para quem não os possui. A caridade não está relacionada apenas a dinheiro, mas também aos 4 elementos da alquimia (espiritual, emocional, racional e material).

São Thomas de Aquino determina cinco características inerentes como sendo filhas da gula:

Loquacidade Desvairada – a desordem no falar, o excesso de palavras atrapalhando e causando confusão mental. Está relacionada ao elemento Ar.

Imundície - aparência desleixada devido à falta de higiene por estar preocupado em demasia com a obtenção de excessos. Não tem o mesmo significado desta palavra em nosso vocabulário moderno, onde imundície quer dizer apenas “excesso de sujeira”, mas sim uma imundície espiritual, ligada à falta de cuidado com o corpo físico por conta dos excessos.

Alegria Néscia – desordem do pensamento e das emoções através do descontrole da vontade, muito associada ao ato de beber. Ligada ao elemento Água.

Expansividade Debochada - O excesso de gesticulações e movimentos do corpo ao comunicar, causando tumulto e desordenação.

Embotamento da inteligência - obstrução da razão devido ao consumo desordenado de alimentos.

 

LUXÚRIA

Luxúria
Luxúria

Defeito capital ligado ao Planeta VÊNUS, quer dizer em seu sentido original “deixar-se dominar pelas paixões”. Em português, luxúria foi completamente deturpado e levado apenas para o sentido físico e sexual da palavra, mas seu equivalente em inglês (Lust) ainda mantém o sentido original (pode-se usar expressões como “lust for money”, “lust for blood”, “lust for power”). A melhor tradução para isso seria “obsessão”. A luxúria tem efeito na esfera espiritual quando a pessoa passa a ser guiada pelas suas paixões ao invés de sua racionalidade. Para chegar ao auto-conhecimento, é necessário domar suas paixões (vide a representação do Arcano da Força no tarot!).

A virtude associada a Vênus é a TEMPERANÇA (do latim temperatia), ou a virtude de quem é moderado.

São Thomas de Aquino determina 8 características inerentes como sendo as filhas da Luxuria:

Cegueira da Mente – é aquela que nos impede de ver os acontecimentos, situações e ações ao nosso redor. A pessoa fica tão entregue às suas paixões que não consegue raciocinar nem intuir a respeito do mundo ao seu redor.

Amor de Si – faz com que a pessoa feche seus sentimentos para dentro de si mesmo, gerando um amor egoísta que segundo Thomas de Aquino é a origem de todos os outros pecados.

Ódio de Deus – com a vontade dominada pelas paixões, o indivíduo abandona a busca espiritual para se dedicar aos afazeres prazerosos mundanos, esquecendo sua busca por Deus no processo. Do esquecimento, estas paixões acabam se tornando ódio ao criador e a todo o mundo espiritual.

Apego ao Mundo – Os vícios e as paixões criam no indivíduo um apego ao mundo e aos seus desejos e ambições, desviando totalmente o foco espiritual de sua missão.

Inconstância – deixar-se dominar pelas paixões faz com que o indivíduo se torna inconstante, balançando sua dedicação à Grande Obra para dedicar-se às perseguições dos prazeres mundanos.

Irreflexão – Quando as paixões cegam o indivíduo, ele fecha-se a todo estímulo externo ou interno, procurando apenas satisfazer seus instintos, sem refletir nas conseqüências de seus atos.

Precipitação – da mesma forma, a urgência em saciar seus apetites e prazeres gera no indivíduo uma precipitação em agir sem pensar, tomando ações e atos sem o devido pesar.

Desespero em relação ao mundo futuro – os atos mal pensados ou não-pensados causam tantos problemas ao indivíduo que o levam a uma situação de desespero em relação ao seu futuro, quando se vê obrigado a encarar os resultados de suas ações.

 

AVAREZA

Avareza
Avareza

A Avareza (avaritia) é o defeito capital relacionado ao planeta SATURNO. Caracteriza-se pelo excesso de apegos pelo que se possui. Normalmente se associa avareza apenas ao significado materialista, de juntar dinheiro, mas sua manifestação nos outros elementos (espiritual, emocional e mental) é mais sutil e perniciosa. A avareza é a origem de todas as falsidades e enganações.
A virtude associada ao planeta Saturno é a CASTIDADE, ou a pureza dos costumes. Do latim Castitas, quer dizer “de sentimentos puros”. Normalmente a associação errada de “sentimentos puros” com a palavra “castidade” usada da maneira incorreta leva à associação de “abstinência sexual feminina” com “pureza”, esquecendo que esta pureza é Espiritual. A Mãe de Jesus que o diga.

São Thomas de Aquino determina sete características inerentes como sendo as filhas da Avareza:

Mentira - Ao procurar para si coisas que não lhe pertencem, o avaro pode se servir do engano. No desespero para não perder o que possui ou adquirir mais coisas que realmente não necessita, o avaro pode apelar para a falsidade. Se este se verificar através de simples palavras, caracteriza-se a mentira, mas se for através de juramento, então está classificada como Perjúrio.

Quanto ao engano em si: se for aplicado contra outras pessoas, classifica-se como Traição, se for em relação a coisas, classifica-se como Fraude.

Inquietude: Excesso de afã para juntar para si gera excessivas preocupações e cuidados.

Violência: Ao procurar para si bens alheios, o indivíduo pode se servir da violência, tamanha a ganância que possui, ao ver seus desejos negados pelo outro. O sentido esotérico se perdeu e violência hoje em dia é sinônimo de agressão, descaracterizando a razão causadora da agressão.

Dureza de Coração: O excesso de apegos pelo que se tem produz a dureza no coração, pois não permite à pessoa usar de seus bens para socorrer aos irmãos. Para se ser misericordioso, é necessário saber gastar seus bens excedentes.

Lição de Casa:

Utilizando-se da estrela Setenária, São Thomas de Aquino afirma que a bondade divina era tão grande que para cada Defeito Capital existiam DUAS virtudes que poderiam ser utilizadas para combatê-lo. Assim sendo, basta seguir as pontas da estrela para as virtudes associadas dos planetas opostos e meditar sobre quais virtudes podem ser utilizadas para combater os sete pecados capitais.”

Texto retirado do blog Teoria da Conspiração de Marcelo Del Debbio. Obrigado pelo magnífico texto proporcionado, e à sabedoria compartilhada.

33 ideias sobre “Os Sete Pecados Capitais e as Sete Virtudes

  1. Pingback: O Verdadeiro Rei | Labirinto da Mente

  2. ótimo texto, porém gostaria de expor alguns pontos que ficaram meio estranhos:
    1- ceticos nao acham que sabem tudo, apenas sao pessoas que so acreditam em uma ideia se tiver comprovação lógica. São pessoas odiosas porque exigem cienficidade, que não se preocupa em inventar mirabolâncias folclóricas nem tem a obrigação de impressionar ninguém, somente quer encontrar a verdade. E o pior: a ciência FUNCIONA.
    Quem acha que sabe tudo eh quem fica falando de Deus de forma arbitraria ( "a Igreja tá errada, eu é que to certo!!!" )
    2- Pra que escrever Yeshua, e não Jesus? Pra parecer fodão, diferente, ocultista?
    Escrevesse então ישוע, que é o nome correto, usado pelos hebraicos, não Yesua, adaptação dos fonemas hebraicos para o português, que ninguém escreve.

  3. tenho problemas com a luxuria (principalmente no sexo ) mas a temperança não me faz sentir bem afinal somos humanos enquanto estivermos na terra temos que nos diverti como se não tivesse consequencia !

  4. Vem cá, sei que a igreja erra (todos erram, não é mesmo?), mas quem somos nós para julgar alguém, seja por mais podre que seja? Já pensou nisso? O testo é ótimo… só os seus comentários que foram infantis em excesso.

    Cadê todas aquelas virtudes?

  5. Qual é o nome do defeito de falar mal dos outros, ou das instituições a que não fazemos parte ? Pois me parece que o autor sofre deste defeito, e a meu ver deveria buscar “tratar” de tal mal, é triste ver alguém com tanto talento para a escrita, alguém que parece ter tantas coisas interessantes a contar, cuspir na cara de instituições que tanto bem fazem aos que a procuram de coração aberto.
    Só uma singela sugestão, escreva o seu texto, sem sem mencionar a sua discórdia com essa ou aquela instituição, isso pega muito mal….Pois aqueles que pensam diferente de você, e acredite, nem todo católico é um tapado como você prega, deixaram de apreciar o que você tenta dizer.
    @TiagoMazzon: bem, esse é o estilo do Marcelo Del Debbio. “Ame-o ou deixe-o”, como dizem…

    • Pelo que entendi essa fraqueza humana, está relacionada a Inveja no Item murmuração. E não é critica a respeito do catolicismo ele está apenas esclarecendo.
      Murmuração – Também conhecido como fofoca, consiste em espalhar mentiras, meias-verdades, distorções, mentira (associada à Avareza) ou fatos embaraçosos ou depreciativos em relação a outra pessoa, com o intuito de prejudicar o próximo.
      Adorei tudo tirei muito proveito grande beijo

  6. Pra falar a verdade eu nunca tive inveja de ninguem……
    pois se eu ver uma garota com alguma coisa q mi chame atenção, eu só falo q bonito mais eu não tenho desejo de ter aquela coisa, até se eu ver alguma coisa muito bonita eu não tenho inveja, eu não sei pq mais assim é bom e agradeso a deus por isso!!!!
    vlw genteeeeee!!!!!! bejoss..

  7. É ótimo ler sobre os pecados, sou fascinado por eles e pelas virtudes. Mas principalmente pelos pecados por ser algo mundano. São Tomás realmente exerceu fortes influencias, mas os pecados e virtudes foram criados por Dante, que era cronista, mas retratou bem a “cidade dos homens”. Mas não vale a pena se prender a um só lado da moeda, é sempre bom procurar outros filósofos e teólogos. Aconselharia que procurassem também, escrever um pouco sobre Santo Agostinho, afinal, tomistas são da filosofia aristotélica enquanto agostinianos são platônicos. Se estamos mostrando disparidades, que mostremos tudo.
    Gostei bastante.

  8. Hoje, refletindo a respeito do “Reino de Deus” ( mundo da felicidade pessoal) me dei conta de que os nossos maiores inimigos, os que nos impedem de alcançar a verdadeira felicidade são os pecados capitais. Não como nos disse a Igreja, mas como sentimentos, que devemos reconhecer dentro de nós e, assim, trabalhar no sentido de superá-los.
    Adorei o texto, veio bem a calhar com minha busca.
    Obrigada.

    @Tiago: sim, de fato, o “problema” está nos “pecados” capitais. Gosto de pensar neles como ponteiros apontando para o que devemos modificar. Seja bem vinda!

  9. Gostei muito do texto e me ajudou no meu trabalho de psicologia, sobre os pecados capitais.
    Infelizmente, estamos vivendo em um mundo onde existe um pouco ou talvez muito desses pecados, principalmente porque cada um só pensa em si, esquecendo do seu próximo.
    Que cada pecado se transforme em virtudes para que tenhamos um mundo melhor!
    Abraços!!!

  10. Também gostei muito do texto, e a questão primordial para mim é algo que está muito além de religião, pois se trata de um olhar para mais dentro e mais fundo de nós, é poder reconhecer aquilo que ainda sentimos e fazemos que não nos faz bem e que consequentemente não faz bem ao próximo. É parar de negar para nós mesmos aquilo que sabemos que estamos sentindo e aquilo que precisamos trabalhar com urgência em nosso interior. O desafio é esse, estamos aqui para combatermos as nossas fraquezas, pois será através dessa reforma que alçaremos voos mais altos rumo a tão aspirada evolução!
    Muito Grata! Paz e Luz!

    @Tiago: realmente, uma das tarefas mais difíceis é reconhecer tudo o que somos, sentimos e queremos. Pois muito disso tudo não é politicamente correto! A sociedade não aprova! A família também não! E toda essa opressão, se dermos atenção à ela, segurará tudo o que REALMENTE somos dentro de nós! Não deixará sair! E isso nos tornará doentes, tristes, depressivos. “Morreremos na miséria, seremos a miséria”. O Caminho espiritual, a “reforma íntima”, nos ajuda a entender tudo isso e a encontrar as bases para sermos realmente o que somos, aconteça o que acontecer.

  11. Gostei muito do texto e concordo com você em suas opiniões, quase nunca paro pra refletir sobre religião e doutrina, mas hoje me peguei pensando muito nisso e esse post me abriu muito a mente…
    Obrigada

  12. This is the rectify Os Sete Pecados Capitais e as Sete Virtudes – Labirinto da Mente diary for anyone who wants to move out out nigh this theme. You mark so untold its virtually debilitating to debate with you (not that I truly would want…HaHa). You definitely put a new spin on a theme thats been scrawled nearly for eld. Squeamish stuff, simply great!

  13. cara! esse post e muito bom me fez ver q tenho alguns pecados capitais por isso vou procurar ajuda com Deus em primeiro lugar e tbm usar as virtudes . brigadu ….

  14. otimo texto no mundo em que vivemos hoje algumas palavras de reflexão são muito bem recebidas, conhecer nossos defeitos e sua origem é a principal arma para torna o mundo melhor.

  15. Não tenho religião, é para mim é um divisor de povos e tenho uma visão diferente de muitos, do que é deus.Seu comentário é ótimo, só é uma pena que muitos não vão na profundidade que merece o texto.

  16. Na verdade tudo isso tem um fundamento, a vida relata-nos o que é bem e o que é mal e só depois é que associamos as duas vertentes do lado errado e do lado correto, ou seja a súmula das ações cometidas pelo homem, geral analises em que nós verificamos que tudo o que nos envolve é algo sagrado.Mas por energias negativas provocadas por forças ocultas faz com que o homem valorize todos esses pecados. A carne fala mais alto do que o espírito, talvez porque haja mais formas de projetarmos o que tanto o ser humano quer que seja visível aos olhos e o pecado está sempre em primeiro plano, não sei o mal e o bem sejam uma obra obrigatória no homem, ou será que Deus nos está a testar com destinos divergência-dos, podemos partir do principio que o mal tem que existir para fortalecer o espírito. Sete pecados sete caminhos diferentes, com sete apostas em cada pecado, sete forças, que se acomparam aos sete selos, as sete igrejas, aos sete anjos, aos sete estadios, sete cavalos. Tudo isto está interligado.

  17. Olha, gostei muito de ler este tópico!
    Estava pesquisando significados para os pecados capitais e este me ajudou muito a fomentar minhas ficções.
    Muito obrigada por compartilhar esta visão mística!

  18. Texto simplesmente magnífico. Uma explicação sucinta de algo tão divulgado e as vezes não muito esmiuçado. Os sete defeitos capitais são algo como um “guidebook” para a evolução. Se pudéssemos avaliar cada evento em nossa rotina de vida através desse texto, e aprimorando-se diariamente chegaríamos muito próximo da perfeição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>